Icelandic não comprou a SATA, mas já fez negócio em Cabo Verde

2019-03-15

Icelandic não comprou a SATA, mas já fez negócio em Cabo Verde

Não fez negócio nos Açores foi fazê-lo a Cabo Verde…

A Icelandic que concorreu à privatização de 49% do capital social da Azores Airlines, cujo concurso não chegou ao fim, acaba de comprar 51% da Transportes Aéreos de Cabo Verde ou Cabo Verde Airlines (TACV), criando a Loftleidir Cabo Verde que será detida em 70% pela Loftleidir Icelandic e em 30% por empresários islandeses.

A Icelandic diz que a estratégia para a Cabo Verde Airlines é construir uma plataforma de ligações aéreas no Sal, para interligar os continentes da Europa, África, América do Sul e América do Norte.

O plano é aumentar a frota da TACV até 2023 para um total de 12 aviões e as operações da Cabo Verde Airlines vão crescer com novas rotas todos os anos até 2023.

A compra de 51% da TACV rondou o valor de 1,3 milhões de euros.

O Governo de Cabo Verde, além do encaixe da venda dos 51% vendidos aos islandeses, vai dispersar 39% do capital em bolsa, e outros 10% vão poder ser subscritos por emigrantes e trabalhadores.